Banco da África Ocidental

Nota do Administrador e Director Geral

O crescimento sustentado do Banco da África Ocidental desde o inicio da sua actividade em 2000, demonstra a sua capacidade de adaptação às constantes mutações do mercado.

Em Abril de 2000, o sector bancário guineense debatia-se com graves problemas de credibilidade, originado pela declaração de insolvência de uma das instituições bancárias a operar na altura no mercado e a retirada do outro. Ciente das dificuldades, o Banco da África Ocidental redobrou os esforços através da adopção de uma política de gestão transparente e de rigor, assegurando cabalmente a estruturação e execução das operações de comércio internacional.

O sector bancário mudou de uma forma expressiva no final de 2005, com a entrada de novas instituições bancárias, obrigando o BAO a dotar-se de capacidade de resposta aos novos desafios quer ao nível dos sistemas de informação, do crescimento orgânico, com a expansão da sua actividade para o interior do país e da implementação dos meios electrónicos de pagamento (ATM's e TPA's). O aumento da concorrência obrigou igualmente o BAO a uma profunda reorganização interna e a dotar os recursos humanos de competências adequadas para criar e desenvolver produtos que visem a satisfação das necessidades dos clientes.

Passados quinze anos, o Banco da África Ocidental conta com uma rede de nove agências espalhadas pelo território nacional, com mais de cem colaboradores, activos líquidos em torno dos 28 mil milhões de FCFA, recursos captados de clientes de 21 mil milhões de FCFA, com a rentabilidade dos capitais próprios a situar-se em 21%, e uma contribuição de 1,6% para o produto interno bruto. Indicadores que confirmam a posição de liderança no mercado bancário guineense.

Em 2015 o Banco da África Ocidental completa 11 anos de existência e estamos em crer que qualquer que seja a dinâmica no mercado em que operamos, o nosso modelo de desenvolvimento estratégico permitir-nos-á manter uma posição competitiva e vantajosa em relação aos demais concorrentes. Continuaremos a crescer ao ritmo desejado, criando valor para os clientes, colaboradores e accionistas.

Não gostaria de terminar esta nota sem agradecer:

  • AS AUTORIDADES GUINEENSES, AO BCEAO, ATRAVÉS DA SUA DIRECÇÃO NACIONAL E A COMISSÃO BANCÁRIA PELO APOIO E ENCORAJAMENTO À EXPANSÃO DA NOSSA ACTIVIDADE;
  • AOS NOSSOS CLIENTES PELA CONFIANÇA E PREFERÊNCIA DEMONSTRADAS;
  • AOS ACCIONISTAS PELA CONFIANÇA TRANSMITIDA AO LONGO DOS EXERCÍCIOS;
  • AOS COLABORADORES PELO ENORME EMPENHO E PROFISSIONALISMO DEMONSTRADO RELATIVAMENTE AOS PERMANENTES DESAFIOS QUE LHES TÊM SIDO COLOCADOS E A QUE SEMPRE TÊM SABIDO RESPONDER COM GRANDE DISPONIBILIDADE, BRIO E PROFISSIONALISMO.